terça-feira, 6 de outubro de 2009

ALFAFA



A alfafa (Medicago sativa), também conhecida por luzerna, é uma leguminosa perene (renovada constantemente pela natureza), pertencente à família Fabaceae e subfamília Faboideae, originalmente encontrada na Ásia Menor e no Cáucaso. Apresenta uma grande variedade de ecotipos (sub tipos adaptados ao clima da região). Em Portugal é também chamada de Luzerna.

Foi a primeira espécie forrageira a ser domesticada. Devido a sua boa adaptabilidade aos mais diferentes tipos de clima e solo, tornou-se conhecida e cultivada em quase todas as regiões agrícolas do mundo e é considerada a "rainha das forrageiras" pelos norte-americanos, devido ao seu elevado valor nutritivo e por produzir forragem tenra e de boa palatabilidade (facilmente absorvida pelos animais). Tem cerca de duas a quatro vezes mais proteína bruta do que o trevo-branco (Trifolium repens) e a silagem de milho (Zea mays), além de ser mais barata.

Seus brotos são usados como alimento humano devido ao seu alto teor protéico e por ser um alimento de baixa caloria e de agradável sabor. Pode ser usada na forma de saladas ou sopas.
Índice
[esconder]

* 1 Teor nutritivo
* 2 Produção mundial
* 3 Produção no Brasil
* 4 Uso humano
* 5 Ligações externas

Teor nutritivo
Muito nutritiva, apresenta importantes qualidades como forrageira e possui em sua composição básica os seguintes valores por produto (valores básicos em percentual relativo):
* proteína bruta = 22 a 25%
* cálcio = 1,6%
* fósforo = 0,26%
* NDT = 60%

Esses níveis são muito superiores aos de outras fontes de alimentos habitualmente utilizados na pecuária. Além desta, usa-se o milho (Zea mays), a cana-de-açúcar (Saccharum sp.) e o capim-elefante (Pennisetum purpureum).

Por sua alta degrabilidade proteínica, aumenta a produção do gado leiteiro, e por ser de fácil digestão para os animais é usado em grande escala mundialmente como forragem animal e alimento.
Produção mundial

É produzida em todo o planeta, cobrindo uma área estimada de 32 milhões de hectares (ha) de área plantada, nos locais de clima tropical,assim distribuida :

Hemisfério Norte:
* Estados Unidos com 10.500.000 ha é o maior produtor mundial.
* Rússia - Com 3.300.000 ha, incluindo aí os países da ex União Soviética.
* Canadá com 2.500.000 ha.
* Itália, com 1.300.000 ha.

Hemisfério Sul:
* Argentina- Com 7.500.000 ha - Maior produtor do Hemisfério Sul e o segundo do mundo.
* África do Sul - Com 300.000 ha.
* Peru - com 120.000 ha.

Normalmente, a alfafa é vendida por quilo, mas é possível encontrá-la em sacos de quarenta ou cinqüenta quilogramas.
Produção no Brasil
Ilustração do livro Flora von Deutschland, Österreich und der Schweiz (1885) de Otto Wilhelm Thomé

Foi introduzida no Rio Grande do Sul, a partir do Uruguai e da Argentina, cobrindo uma área de 26.000 ha na Argentina.

Seu baixo plantio no Brasil ocorre em grande parte pela falta de conhecimento e exigências peculiares, pelos produtores.

Apesar de ser uma das forrageiras mais difundidas em países de clima temperado, recentemente a alfafa começou a ser cultivada com sucesso em ambientes tropicais.

No Brasil, até 1968, o Estado do Rio Grande do Sul respondia por mais de 70% da área cultivada com alfafa, devido ao fato de as condições climáticas locais serem favoráveis ao cultivo na época.

Outras regiões como a Sudeste e Centro-Oeste, são grandes plantadores, podemos destacar Mato Grosso do Sul, na região de Campo Grande, Tocantins e sul de Goiás, se levarmos em conta ainda que o país prefere exportar do que a plantar.
Uso humano

Por ser rica em proteínas é um bom fortificante, contra o raquitismo. Contém várias vitaminas entre elas as vitaminas A1, B2 e C, além de minerais como potássio, magnésio, fósforo e cálcio.

É eficaz no tratamento de anemias, ausência de ferro, auxilia a circulação sangüínea protegendo-a de hemorragias. O seu chá tomado em jejum recalcifica os ossos e combate o raquitismo, calmante, combate o excesso de uréia, é recomendada na alimentação como salada, para combater escorbuto, falta de apetite, má digestão, úlceras nervosas, cistite, reumatismo e artrite.

Há várias formas de usá-la na alimentação como salada com tempero ou não, chá, sempre deve ser feito da folha seca. Secar na sombra, senão murcha e perde qualidade terapeuticas. Tomar um copo de chá durante 4 dias por semana. Intercalar e repetir a dose outras vezes, normalmente antes do almoço ou refeições.

alunos: Eduardo S. Leonardo S. Santos
turma:42
profª: Anira

Um comentário: